sábado, 16 de abril de 2011

Desmamadeira Elétrica

Tenho que falar sobre a benção que foi uma desmamadeira elétrica no primeiro ano de vida da minha pequena! Me desculpe quem é contra desmamadeira elétrica, mas tirar na mão é cansativo e demora demais, ou então eu não sabia mesmo como fazer...
O modelo que primeiro usei foi um emprestado de uma amiga querida (obrigada Marlice!!!), bem simples, da Medela, mas depois ganhei o modelo Swing, da marca Medela, que adorei, e está aí a foto:

Muitas mães não se adaptam ou não gostaram da experiência de usar uma desmamadeira elétrica, mas percebi que você só vai gostar se comprar um modelo muito bom, como este aí de cima. Tem outras que são trabalhosas, difíceis de usar... Vou contar como tudo aconteceu...
A partir da segunda semana de vida da minha filha, eu precisei de uma desmamadeira, pois meu peito rachou, senti dores, tentei tirar leite na mão e nada... Eu era inexperiente, não sabia amamentar, e ela, por sua vez, estava aprendendo a mamar.
Ok, o correto é utilizar copinho ou colher para dar o leite, eu tentei, mas não deu muito certo e usei mamadeira com bico ortodôntico  para chá e água, que tem um furinho bem pequeno, e ela faz mais força para sugar. Como era algo bem esporádico o uso da mamadeira, talvez não teve perigo de desmamar, mas na dúvida, é sempre bom experimentar copo, colher, seringa, qualquer coisa, antes de colocar bico de mamadeira, pois o risco de desmamar é grande, já que a "técnica" de sucção no peito e mamadeira é diferente, e ocorre a confusão de bicos, fazendo a criança sair do peito precocemente. O desmame não acontece imediatamente, por isso que algumas mães não associam a mamadeira com a saída do peito, dizem que a criança não quis mais, leite secou, etc. Indícios de desmame é quando a criança começa a recusar o peito, chora ao mamar, se joga para trás... depois falaremos mais sobre desmame... Por sinal, o nome não deveria ser "desmamadeira elétrica", uma vez que não tem nada a ver com desmame!

Durante o dia, quando eu estava com o peito muito cheio, e nas noites em que ela dormia mais e eu acordava com o peito gigante, duro, sem conseguir mais dormir, a desmamadeira também foi ótima, porque eu retirava o excesso de leite, dava uma boa aliviada e eu ainda guardava o estoque no congelador, para os dias em que eu precisava sair. Dessa forma, eu ia para o salão, shopping, ou qualquer lugar, mais despreocupada, já "baixando" um vidrinho de Nescafé do congelador para geladeira, pra ela tomar meu leitinho na minha ausência. Tudo bem, eu não saía muito, confesso... mas das poucas vezes que saí foi tranquilo, sem contar que doei muito leite para o Banco de Leite, e quando estava perto do meu retorno ao trabalho, já fui estocando vidros para ela tomar após minha licença.

Sobre estocar leite materno, vou falar o que sei: primeiro, deve-se ordenhar com a maior higiene possível, com cabelos amarrados, mãos lavadas, peças da desmamadeira e vidro de "Nescafé" esterelizados. Guardar os vidrinhos em congelador por no máximo 15 dias ou geladeira por 24 horas; eu colocava etiqueta no vidro com a data. Se retirar do congelador, poderá ficar na geladeira descongelando aos poucos, por no máximo 24 horas. Eu li que o ideal é não variar rapidamente as temperaturas, então, quando for congelar, deve-se deixar antes o vidro 30 minutos na geladeira, e quando for descongelar deve-se deixar desmanchar todas as pedrinhas de gelo, na geladeira ou ao ar livre. Esquentar em banho-maria, aos poucos, assim eu colocava o vidro na panela com a água natural, depois fogo baixo e quando a água ficava morninha eu desligava e ficava mechendo com uma colher. Isso evita que o leite perca suas propriedades com o calor excessivo. Era bem rápido, tinha cuidado para não esquentar demais, tentando sempre deixar na temperatura parecida com a do leite materno saído da "fonte", que é a temperatura do corpo, ou seja, levemente morno. Muitas vezes eu retirava direto do congelador e deixava do lado de fora para o gelo derreter e levava para a panela já sem pedrinhas, todo líquido. É melhor evitar mudanças bruscas de temperatura, por isso eu tinha esses cuidados, para não desnaturar as proteínas do leite, não perder seus benefícios, etc..
Bom, quando voltei a trabalhar, minha pequena tomava 2 mamadeiras por dia de leite materno (antes das sonecas) no horário do meu trabalho (na verdade era aquela mamadeira gorducha da NUK com o bico de "pato", que chamam isso de Copo de Treinamento, para maiores de 6 meses, e que é bem diferente do bico de mamadeira e não provoca desmame). Cada mamadeira tinha no mínimo 150 ml de leite materno; eu retirava esses 300 ou 350 ml de leite aos poucos: de manhã (antes de ir trabalhar), no meu trabalho e antes de dormir. Nem todo dia eu tirava nesses 3 horários, na maioria eram 2 vezes para completar as mamadeiras. Usei a desmamadeira no trabalho por 5 meses, entre os 7 meses (quando voltei ao trabalho) e 1 ano de vida da minha filha.
Só esclarecendo que o bebê tem uma capacidade bem melhor de sugar do que uma desmamadeira elétrica, por melhor que esta seja, então se eu consigo tirar um tanto de leite com a máquina, a criança conseguiria tirar beeeeem mais... lembrando que uns 80% do leite materno é produzido na hora da mamada, sendo mito essa história de peito murcho, ter que deixar o peito encher, precisar de reserva; a questão é só de estímulo; quanto mais mamar, mais leite terá, não precisa de reservatório. Agora, se começar a dar leite artificial, terá menos estímulo no peito, e a tendência vai ser do peito ir secando mesmo, sem contar na confusão de bicos. A desmamadeira tenta imitar a sucção do bebê, então ela estimula também, menos que a criança, mas funciona.
Poucos dias depois da Samira completar 1 ano, a desmamadeira pifou de vez; ela já vinha se desgastando muito, por tanto uso, e não consertei nem comprei outra. Senti que estava na hora de parar, fui até onde deveria mesmo. Não senti remorços quando acabou, nem alívio. Achei que cumpri essa etapa que coloquei para mim, e fiz com o maior amor.
A Samira adorou cada leitinho de mamadeira que ela tomou na minha ausência antes de dormir os 2 cochilos. Ela esperava ansiosa e os olhos brilhavam quando via a mamadeira chegando... dormia rapidinho e de barriga cheia do melhor alimento do mundo! Era ótimo para a babá, que não precisava se esforçar muito para fazê-la dormir. Depois tivemos que reformular a rotina dos soninhos, mas foi tranquilo, e hoje já está tudo resolvido.
Depois de um ano, passou a mamar no peito umas 3 vezes ao dia, e fui fazendo um desmame gradual depois de 1 ano e meio, tirando uma mamada de cada vez, na tranquilidade.
Só atualizando esse post, ela deixou o peito com quase 2 anos...
Foi assim nossa história com a Swing...

Aqui neste site da NUK tem ótimas dicas sobre amamentação e desmamadeira:
http://www.nuk.com.br/br/paam/paam01.asp?secao=paam&bullet=01

Nenhum comentário:

Postar um comentário